monitoria-artistica-sao-jose

Monitoria Espontânea em São José dos Campos

Intervenção

Pparalelo de Arte Contemporânea intervém em São José dos Campos com o projeto artísticoMonitoria Espontânea.

Entre os dias 12 e 16 de julho o Pparalelo de Arte Contemporanea realiza o projeto Monitoria Espontânea, intervenção artística rascunhada há algum tempo pelos artistas do grupo e que agora se efetiva na cidade de São José dos Campos.

Para essa ação dois grupos artísticos contemporâneos se encontram. O Pparalelo convidou os artistas do Núcleo de São José dos Campos por sua proximidade nos ideais de trabalho estabelecendo assim outra de suas frentes constitutivas na qual estende o formato do Grupo com participações em paralelo. O projeto Monitoria Espontânea é viabilizado pela ASSAOC – Associação dos Amigos das Oficinas Culturais do Estado, por meio da Oficina Cultural Regional Altino Bondesan e com a parceria da Fundação Cultural Cassiano Ricardo.

Pparalelo de Arte Contemporânea, baseado em Campinas é formado por Sylvia Furegatti, Cecilia Stelini, Hebert Gouvea, Adriana da Conceição e Dorothea Freire e o Núcleo, baseado em São José dos Campos é formado por Ana Maria Bomfin (Pitiu), Giancarlo Ragonese e Lindsay Ribeiro. Além desses artistas, participam como convidados, Bruno Sayão, Mateus Stelini e Renata Gonçalves.

A intervenção artística Monitoria Espontânea conjuga da atual demanda de público estabelecida por uma parcela das formulações da Arte Contemporânea. Materializada, a proposta ocupa uma parte central da Praça Afonso Pena, espaço de grande circulação de pessoas na cidade.

Nesse ponto serão construídos dois cubos brancos de grandes dimensões (4m2) que apresentam a reconstrução de dois projetos contemporâneos caros à História da Arte - Uma e três cadeiras de Joseph Kosuth (1969) e Parangolés de Hélio Oiticica (1969). Os artistas do Pparalelo e do Núcleo vão se posicionar ao redor desses cubos chamando a população para conhecer os projetos e distribuindo, nesse contato, um panfleto que traz informações sobre as obras.

De caráter efêmero, a intervenção terá a duração de uma semana. Assim, os cubos servem ao projeto como pontos de encontro e objetos artísticos que ocupam a paisagem. A proposta trabalha com a conjunção de pessoas e instituições locais buscando valorizar a elaboração de projetos vascularizados pelos seus lugares de implantação.

Depois da semana de intervenção, os cubos serão desmontados e doados para a ONG Recriar, da qual faz parte Ana Maria – Pitiu, uma das artistas do Grupo Núcleo. Pitiu dedica-se ao trabalho de Artes Visuais dentro da estrutura geral dessa ONG voltada para a educação complementar para 150 crianças (8 a 12 anos) que freqüentam as atividades em horário diferente das aulas do ensino público.



Ficha Técnica do Projeto

Criação: Pparalelo de Arte Contemporanea
Convidado Especial dessa edição do projeto: Grupo Núcleo – Pitiu, Lindsay Ribeiro e Giancarlo Ragonesi
Produção: Bruno Sayão, Mateus Stelini, Renata Gonçalves, Bruna Negrisoli, Flavia Ferreira dos Santos, Nathan de Souza Malafaia, Nilson Jose Soares
Realização/Promoção:ASSAOC/Oficina Cultural Regional Altino Bondesan/S J dos Campos
Coordenação: Washington Freitas

Apoio
Fundação Cultural Cassiano Ricardo
Prefeitura Municipal de São José dos Campos